Publicações


O Emecê, informativo do Núcleo de Pesquisa Marques da Costa, de número 36  está disponível. Este número traz um texto sobre “O porto do Rio de Janeiro, a greve dos marítimos e o comitê pela libertação de José Leandro”.

Para baixar o emecê n.36 em pdf clique aqui ou na imagem abaixo.

 

Anúncios

O Emecê, informativo do Núcleo de Pesquisa Marques da Costa, de número 35 já está disponível. Este número traz um texto sobre “ Barba, Cabelo, Bigode e Luta! Breve história da organização dos oficiais barbeiros no Rio de Janeiro”.

Para baixar o emecê n.35 em pdf clique aqui ou na imagem abaixo.

cabecalho_emece_35

O Emecê, informativo do Núcleo de Pesquisa Marques da Costa, de número 34 já está disponível. Este número traz um texto sobre “As Mulheres Anarquistas da Família Soares: a história de luta de uma mãe e suas quatro filhas no Rio de Janeiro da Primeira República”. Entre as mulheres da Família Soares, a mais conhecida provavelmente foi Angelina Soares. Paula, Angelina, Maria Antonia, Matilde, Pilar, presentes! Hoje e sempre! Não tá morta quem peleia!

Para baixar o emecê n.34 em pdf clique aqui ou na imagem abaixo.

cabecalho_emece_34

Saiu o trigésimo primeiro número do nosso informativo, o EMECÊ. Esta edição conta com um texto sobre o Movimento Estudantil Libertário (MEL), organização que atuou no período da ditadura militar e teve militantes processados, presos e alguns destes torturados pelo regime.

Para baixar o emecê n.31 em pdf clique aqui ou na imagem abaixo.

cabecalho_emece_31

Já está impresso e disponível na Biblioteca Social Fábio Luz o novo número do emecê, n.28. Esta edição conta com um texto sobre o sindicalismo revolucionário e educação popular no Rio de Janeiro, falando sobre a questão da educação nos congressos operários e as escolas populares no Rio de Janeiro.

Para baixar o emecê n.28 em .pdf clique aqui ou na imagem abaixo.

emece28

Recentemente, a Editora Faísca publicou três livros como parte da comemoração de seus 10 anos de contribuição para o anarquismo brasileiro: Negro e Vermelho: Anarquismo, sindicalismo revolucionário e pessoas de cor na África Meridional nas décadas de 1880 a 1920Os Revolucionários Ineficazes de Hobsbawn – Reflexões Críticas de sua Abordagem do AnarquismoA Destruição do Leviatã: críticas anarquistas ao Estado. Você pode ler um pouco mais sobre cada um destes lançamentos nesta postagem da Biblioteca Social Fábio Luz: Lançamentos Faísca 2014.

Os dois primeiros terão uma atividade de lançamento no Rio de Janeiro no dia 23 de outubro. A atividade contará com falas de Rafael Viana, autor do livro Os Revolucionários Ineficazes de Hobsbawn e integrante do Núcleo de Pesquisa Marques da Costa, e de Leonardo de Souza, militante do Fórum Popular de Apoio Mútuo sobre o livro Negro e Vermelho, seguidas de debate aberto com os presentes. Durante a atividade ambos os livros serão vendidos a preços promocionais pela Cooperativa Jataí.

Dia: 23 de outubro, quinta-feira
Hora: 18:30 às 21:30
Local: SINDIPETRO – Av. Passos, 34 – Rio de Janeiro
Evento: https://www.facebook.com/events/572609609535956/?fref=ts

10516636_4642298951332_248851226832186944_n

Colocamos à disposição para todos e todas o livreto lançado pelo Núcleo de Pesquisa Marques da Costa em 2011 “A Luta Social em Vila Isabel“. Este livreto foi escrito por Milton Lopes, coordenador do NPMC, e lançado em 2011 em comemoração aos 10 anos da Biblioteca Social Fábio Luz que fica localizada no Centro de Cultura Social, em Vila Isabel.

Ele aborda o histórico das lutas sociais no bairro, dando destaque para a figura de Pedro Matera e a luta dos trabalhadores da Fábrica Confiança, que hoje dá lugar ao supermercado Extra. Para baixar o arquivo em .pdf, você pode clicar na imagem abaixo ou aqui.

A chaminé outrora fumegante, da antiga fábrica Confiança, hoje desativada, eleva-se de forma imponente sobre as casas e os prédios residenciais do bairro de Vila Isabel. A cada esquina, a cada rua, cujos horizontes permitem vislumbrar o conjunto arquitetônico da antiga fábrica, somos confrontados com elementos de um passado não tão distante, que se confunde com a própria história do bairro e de seus trabalhadores.” (Contracapa por Rafael V. da Silva)

CAPA

 

Próxima Página »